• @solangepalma

Casa Lapostolle - CL

Atualizado: Abr 6



No Vale do Colchagua, a 150 km de Santiago, você poderá fazer a  rota do vinho. As vinícolas são muito bem estruturadas pra receber visitantes, a paisagem incrível, coberta de vinhedos e montanhas e  os hotéis são românticos. E, de quebra, você pode levar garrafas por menos da metade do que pagaria no Brasil e ainda encontrar rótulos exclusivos.


A Vinícola Lapostolle no Vale de Colchagua, foi fundada por Alexandra Marnier Lapostolle e seu marido Cyril de Bournet em 1994. Para amantes do vinho, visitar a  Lapostolle  é ter a possibilidade de conhecer de onde que vem o melhor vinho do mundo 2008 segundo a prestigiosa publicação Wine Spectator. 


O vinho ganhador, Clos Apalta 2005 não é o único premiado desta vinícola, pois vários alcançam sobre os 90 pontos considerados excelente e grande, em uma qualificação de 1 a 100. Clos Apalta obteve 96 pontos.


Se você já ouviu falar do Grand Marnier,saiba que a dona da vinícola é a mesma dona deste prestigioso  licor. Hoje, Lapostolle é dono de 370 hectares em três vinhedos diferentes e produz um total de 200.000 cascos de variadas uvas, Sauvignon Blanc, Chardonnay, Cabernet Sauvignon, Merlot, Carmenère e Syrah. Lapostolle , considerado o mais francês dos produtores chilenos, é distribuída em mais de 60 países ao redor do mundo.


O passeio começa subindo num caminhão aberto que leva entre estradinhas pelos vinhedos parando em mirantes e depois entra na bela vinícola de arquitetura contemporânea, construída seguindo os princípios do feng chui, com várias imagens de anjos e fontes de água. Lá dentro você vê as pressurizadoras e visita a adega, onde os vinhos descansam ao som de canto gregoriano.


Foi feita uma perfuração com dinamites na rocha de granito para obter um buraco em torno de 25 metros. A bodega ficou com 06 andares, e no centro foi colocada uma escada elíptica desde o primeiro ao ultimo andar. Em algumas partes eles deixaram a rocha aparente para que os visitantes possam apreciar. Mas não se preocupe, tem elevador.


O ápice da visita é a sala de degustação, no topo do conjunto, onde você experimenta os vinhos mirando os parreirais e a visita à loja. Como se não bastasse, recentemente foi inaugurado o restaurante Fuegos de Apalta by Francis Mallmann, baseado na culinária de fogo.


Os mariscos e peixes são da região de Mantanzas, as hortaliças de Colchágua, os cordeiros de Marchigüe, as carnes de Osorno e os temperos da própria horta de Mallmann.  A ambientação da casa também valoriza os produtores locais: toda mobília foi feita pelos artesãos do vale ou nas proximidades de Chimbarongo.


A  arquitetura  integra com a vista exuberante da vinícola acrescendo mais um item a experiência sensorial do momento gastronômica. Super charmoso o restaurante, com opção de mesas ao ar livre, concepção contemporânea, com defumador e grelha circular protegido por vidro, você pode observar os cozinheiros enquanto aguarda ser servido.Os pratos bem são apresentados e saborosos.Alguns vinhos podem ser provados Alguns vinhos podem ser provados em taças. O Shyraz da V. Montes é um  tinto versátil para harmonizar com a maioria dos pratos.

© Desenvolvido por Solange Palma